Principais considerações para 2024: Tendências e desafios tecnológicos

Rubens Daniel

Head de Pré-vendas da América Latina

Neste artigo:

Em um mundo em que prevalece a incerteza, é fundamental gerenciar com eficácia as oportunidades e utilizar as ferramentas disponíveis, e a tecnologia está pronta para desempenhar um papel fundamental na promoção da eficiência e do progresso das empresas. Ao explorarmos as tendências para 2024, vamos nos concentrar na IA generativa, nos desafios da segurança cibernética, na evolução das plataformas sem código e nos obstáculos ambientais que afetam o setor de tecnologia. 

Empresário segurando gráfico de finanças de investimento no mercado de ações, negócios e câmbio, gráfico de crescimento financeiro, tecnologia virtual, economia, análise digital em um fundo de sucesso com diagrama de dados de marketing.

Revelando o poder da IA generativa e enfrentando os desafios do preconceito 

O Gartner prevê um crescimento de 8% nos gastos com TI, atingindo US$ 5,1 trilhões em 2024, com uma parte significativa destinada à Inteligência Artificial (IA). A IA generativa, em particular, está ganhando impulso, fornecendo às empresas os meios para melhorar a eficiência operacional e obter uma vantagem competitiva. No entanto, as oportunidades recém-descobertas na IA generativa vêm acompanhadas de desafios, principalmente no gerenciamento de vieses nas soluções de IA. De acordo com o Gartner, aqueles que gerenciarem com eficácia a confiança, o risco e a segurança da IA (AI TRiSM) estarão mais bem posicionados para concretizar novos desenvolvimentos. 

A crescente acessibilidade da IA generativa a diversos públicos significa que todas as empresas, independentemente do tamanho, e até mesmo cidadãos individuais (em teoria) podem se tornar fontes e usuários de IA. Isso exige que os governos e as autoridades públicas formulem novas regulamentações, uma tendência que já está começando a se manifestar. 

No âmbito da IA generativa, espera-se que os aplicativos inteligentes continuem incorporando dados externos de forma orgânica para aprimorar suas funcionalidades sem a necessidade de ferramentas independentes de business intelligence. O objetivo é que esses aplicativos aprendam com o comportamento do usuário, adaptando e personalizando as experiências. 

Essa progressão implica um investimento significativo em segurança cibernética. Os dados do ISG indicam que as ameaças da IA são uma das principais preocupações de mais da metade dos líderes de segurança corporativa nos próximos dois anos. As empresas estão se preparando para responder por meio do treinamento da equipe e da adoção de novas tecnologias de segurança. 

Um futuro em que nossos carros decidem de forma autônoma suas necessidades de combustível ou avatares lidam com transações financeiras está no horizonte. A Gartner prevê que, até 2028, os clientes de máquinas conduzirão a uma obsolescência de 20% das ofertas digitais. 

Revolução sem código e boom do Big Data: moldando a automação e a dinâmica da informação 

No campo da automação, espera-se que a implementação de aplicativos sem código, conhecidos por proporcionar maior eficiência de recursos, experiências personalizadas para os clientes e recursos para análise e previsões de dados complexos, continue. O Quandary Consulting Group sugere que até 77% das solicitações de desenvolvimento de aplicativos não podem ser atendidas devido à escassez de pessoal qualificado, uma lacuna que a tecnologia No-Code pretende resolver. 

Por outro lado, vamos dar uma olhada no setor de dados ou no cenário de Big Data. De acordo com a ResearchAndMarkets, projeta-se que esse setor movimentará potencialmente US$ 353,9 bilhões até 2030, levando as empresas a investir em infraestrutura, nuvem e sistemas de processamento de dados. 

Obviamente, a geração de grandes quantidades de dados é possibilitada pela nuvem. A Deloitte estima que o mundo gerará 149 zettabytes de dados até 2024. De acordo com a MarketsandMarkets, espera-se que o setor global de nuvem cresça 16% em 2024, atingindo US$ 727,6 bilhões. A soberania da nuvem, que garante que o armazenamento de dados esteja em conformidade com as leis do país que detém as informações, se tornará cada vez mais importante devido ao valor crescente das informações hospedadas na nuvem. As empresas globais devem considerar que, nesse ambiente regulatório altamente dinâmico, que responde a estratégias geopolíticas às vezes conflitantes, o gerenciamento de dados é crucial. 

Equilíbrio entre os imperativos de segurança e sustentabilidade 

Os desafios de segurança continuarão sendo uma consideração constante no planejamento. O Gartner propõe que a abordagem CTEM poderia reduzir a vulnerabilidade em 67%. O gerenciamento de exposição a ameaças (CTEM) concentra-se na exposição sistemática das empresas a perigos para avaliar as respostas a esses riscos, identificando, quantificando e priorizando ameaças contra ativos e atenuando-as por meio de firewalls, sistemas de detecção de intrusão, políticas de segurança e outras contramedidas. 

Por fim, abordando os desafios mais amplos que a humanidade enfrenta devido às mudanças climáticas, o setor de TI é instado a reduzir seu consumo de energia, que atualmente representa 1% globalmente. O ISG afirma que os principais provedores de serviços em nuvem estão investindo em ferramentas para rastrear sua pegada de carbono, implementar data centers com eficiência energética e gerenciar o lixo eletrônico de forma sustentável. 

Antecipar as perspectivas tecnológicas de 2024 não é adivinhar ou apostar em uma ou outra tendência. Ela pressupõe uma análise de como o mercado de fornecimento de tecnologia tem se comportado, considerando as estruturas econômicas, regulatórias, geopolíticas e culturais nas quais as empresas e os cidadãos operam. Além disso, a previsão deve orientar os líderes empresariais na tomada de decisões alinhadas com seus objetivos comerciais. 

A inovação orientada por tecnologia está mais importante do que nunca 

A inovação tecnológica, o processo pelo qual as empresas criam novos produtos ou serviços usando ferramentas digitais, tem impactos de longo alcance que vão além dos usuários diretos. Ela modifica gradualmente as expectativas, cria novos modelos de trabalho, exige recursos diferentes, transforma empresas e mercados e aciona necessidades regulatórias. 

Há décadas, os consumidores têm experimentado melhorias sem precedentes em benefícios como economia de tempo, previsões precisas de preferências, antecipação de demandas e envolvimento responsivo com opiniões e demandas. Os setores, que vão desde serviços bancários e financeiros até agricultura, mineração, saúde, entretenimento e serviços públicos, passaram por transformações radicais com o crescente desenvolvimento da tecnologia. 

Assim, as ofertas de serviços começam a se igualar, e os atributos de qualidade exigida ou higiênica aumentam, ou seja, os padrões mínimos a partir dos quais a melhoria começa. Os produtos e serviços tornam-se padronizados, o que torna a concorrência mais desafiadora. 

Ao analisarmos as tendências para 2024, observamos a consolidação de linhas que vêm evoluindo há anos, convergindo com os desafios impostos por um contexto global de múltiplas crises. A inovação e a tecnologia são forças fundamentais para preencher as lacunas atuais e estabelecer as bases para um futuro melhor. 

Rubens Daniel

Head de Pré-vendas da América Latina

Neste artigo:

Compartilhar esta publicação

Artigos relacionados

Fale com um de nossos especialistas

Se você está considerando uma nova experiência digital, qualquer que seja o estágio em que se encontre em sua jornada, nós adoraríamos conversar.